Pó de rocha mantém o equilíbrio do solo sem agredir o meio ambiente

A Mineração Florense, além de atuar na construção civil, disponibiliza ao mercado do agronegócio o pó de rocha. A utilização deste produto na agricultura como fertilizante corretivo ou remineralizador do solo é uma alternativa para baixar os custos de produção agrícola. Além disso, contribui para diminuir a atual dependência de insumos importados, sem comprometer a produtividade das lavouras.

A prática, conhecida como rochagem, representa a incorporação de rochas moídas ao solo, como forma de tornar a terra menos ácida e mais fértil. Os minerais existentes nas rochas ajudam a recuperar a fertilidade dos solos, liberando elementos essenciais ao desenvolvimento da sua vida microbiana e promovendo o desenvolvimento sadio das plantas.

A utilização do pó de rocha no solo viabiliza sua remineralização ou rejuvenescimento por meio da disponibilização de uma vasta quantidade de macro e micronutrientes. Sua aplicação pode ser feita em qualquer tipo de cultura, variando a dose a ser utilizada, do nível tradicional do solo e do ciclo da cultura.

A diferença básica entre insumos químicos – de rápida solubilidade – e os naturais como pó de rocha, é que neste último a disponibilização dos nutrientes se dá de uma forma lenta e por um período mais longo, o que assegura a manutenção do equilíbrio dos solos.

 

Comércio e uso na agricultura normatizados

Em 2016, o registro, comercialização e uso dos remineralizadores na agricultura agora foi regulamentado a partir da publicação da Instrução Normativa (IN) n° 5 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Com a aprovação da Lei 12.890, em 2013, os remineralizadores foram incluídos entre as catego­rias de insumos agrícolas.

 

Comentários